3 Canais de mulheres no Youtube/Instagrans sobre viagens

Lembrando que ainda estamos em Março e que dia 08 foi dia Internacional das Mulheres, porque não dar dicas de canais muito bons de influencers viajantes que acompanho e aprendo tanto!?

  • Eu Nasci pra Viajar: Encontrei esse canal no Youtube por pura sorte. Gaby Coutinho, uma nordestina muito simpática, faz vlogs de suas viagens com seu marido. O grande diferencial dos vlogs da Gaby são os detalhes, ela fala sobre os preços, dá dicas de como economizar (inclusive usando o transporte público). Instagram: @eunascipraviajar.
  • Instagram: @liviajando. A Lívia é uma viajante que mora em Brasília e sempre que pode está viajando. Ela viajou muitas vezes para a Ásia e para mim, uma referência de influencer viajante solo.
  • Guia Mundo Afora: Canal do Youtube e instagram (@thaistowersey) de Thais Towersey, carioca mas que ama (e mora) na cidade de São Paulo, também tem um blog com muitas dicas sobre viagens pelo mundo.

Espero que as dicas tenham sido úteis e que nós mulheres sempre apoiemos umas as outras!

Voo de Balão

Meu primeiro voo de balão foi tão inesquecível que eu precisava compartilhar.

Fechei meu passeio com a empresa Céu Azul Balonismo (www.ceuazulbalonismo.com.br) na cidade de Boituva, com base nos comentários do Tripadvisor, e eu amei minha escolha! Acertei tudo por email e whatsapp; o Rodrigo (responsável pelo voo) tirou as minhas dúvidas e foi super solícito assim como toda a equipe de apoio no dia.

No dia anterior ao voo (sexta-feira), recebi a confirmação que o passeio ocorreria pois o tempo estaria adequado para tal (essa confirmação é necessária, pois existem os efeitos do clima como vento, chuva…).

No sábado, chegamos ao local (Centro Nacional de Paraquedismo) antes dás 5:00, ainda escuro, com uma lua cheia alaranjada, coisa mais linda!

Fui muito bem recebida, e aguardei até que todos os ocupantes chegassem. De lá, fomos em uma vã para o local onde o balão estava sendo preparado. Nesse tempinho, dá para tirar muitas fotos, então é só aproveitar!

Quando o balão já estava pronto, entramos tranquilamente no cesto, depois de acomodados subimos, com o sol despontando, ahhhh…que delícia!

Muitas pessoas me perguntaram se senti medo, ou se deu frio na barriga e para mim, não gente! Não deu frio na barriga, não senti pois é bem devagar e suave (a verdade é que sinto mais frio na barriga decolando ou pousando de avião). É lindo, suave, tranquilo!

No meu voo, haviam 12 pessoas no total, muitos casais, e eu e mais uma moça “sozinhas”, e uma dupla de amigas. Foi tão tranquilo, e gostoso que cantamos Parabéns a bordo (já que tinham vários aniversariantes do mês de Fevereiro, inclusive eu, que fiz 30 no dia anterior). O voo dura cerca de uma hora e o pouso era o que eu mais temia, pois já havia lido relatos de pousos não tão suaves assim, porém o meu, assim como o voo foi tranquilíssimo, em um pasto verdinho com o sol da manhã para o nosso brinde final.

Depois do brinde, a vã já estava a nossa espera para voltarmos para o café da manhã já incluso no pacote, o qual tomamos vendo os corajosos pulando de paraquedas, é demais!

Cheguei a conclusão que meus 30 anos não poderiam ter iniciado de forma mais linda. O investimento (Em torno de R$ 340,00 – mês Jan./20) valeu muito a pena e eu recomendo sim! O nascer do sol como eu nunca vi, paisagens que ficaram na memória e experiência que ficou na minha história!

Poços de Caldas (MG) – 2019

Férias em Outubro, e quem decidiu fazer a primeira viagem solo (digo, totalmente solo, sem nenhuma agência)?

É galera, chegou a minha vez de perder definitivamente o receio e partir para algo que eu queria tanto, minha primeira viagem sozinha!

Acompanho blogueiras como a Amanda Noventa (www.amandaviaja.com.br), e a o Instagram da Lívia (@liviajando) que sempre viajam sozinhas e dão várias dicas boas para a mulherada ser independente e cair nesse mundo para viver sua própria vida e sonhos, sem necessariamente ter uma companhia. Nada contra viajar acompanhada, mas eu acredito ser uma ótima experiência para o autoconhecimento, a auto estima.

O lugar escolhido foi Poços de Caldas, que é relativamente perto, minha mãe já tinha conhecido em Julho desse ano e gostou muito. É mais barato por ser fora de temporada (alta temporada são nos meses frios). Fui em dia de semana, de ônibus, cheguei lá 12:30h, peguei um táxi na rodoviária (medinho de pegar Uber sozinha em outra cidade, mas me arrependi, foi bem caro…).

Fiquei hospedada no hotel Íbis no centro, e que localização maravilhosa, fiz tudo a pé. Como cheguei bem na hora do almoço, fui caminhar pelas ruas para achar um restaurante e encontrei o “Mangata” bistrô. O atendimento foi muito bom, o lugar é uma graça, já a comida não achei tudo isso, mas não estava ruim e achei o valor bem honesto.

Depois de almoçar fui dar uma volta para conhecer um pouco da cidade. Voltei ao hotel, e mais tarde saí para ir a famosa Praça Pedro Sanches em frente ao Palace Hotel, onde tem um coreto e música ao vivo das quintas aos domingos. Fiquei impressionada com a quantidade de pessoas (principalmente famílias e idosos) curtindo a música, e o clima de cidade pequena. Os idosos arrasam na dança hahahahaha me diverti horrores vendo-os dançarem, e percebi que a velha sou eu!

Na sexta-feira eu já tinha fechado com uma agência para um “city tour” que durou somente meio período já que a cidade é pequena e não tem grannnndes pontos turísticos. Gostei muito da cachoeira Véu das Noivas (não era permitido a entrada). Fomos também na Fonte dos Amores, Pedra Balão, em uma loja de vinhos e queijos, lojas de cristais e no Cristo Redentor poço-caldense.

Quando voltamos, já próximo a hora do almoço, fui ao Cucina Francesco (padaria, confeitaria e restaurante) e que delícia de self servisse, por kilo! Gostei da comida, do atendimento e de ter 5% de desconto quando pagava em dinheiro.

Decidi que iria no IMS (Instituto Moreira Salles) mais conhecido como Casa da Cultura. O museu estava com duas exposições de fotografias. Ele é pequeno, não é necessário muito tempo para apreciar. Já no fundo do museu tem uma cafeteria “Rotina Café Galeria” muito linda em uma construção antiga, com varanda com mesas, cadeiras, uma lindeza. Comi um brownie de chocolate com morangos muito gostoso!

Chegando no hotel, decidi que iria a Thermas Antônio Carlos (oferece banhos de imersão, banho de ofurô, serviços estéticos mediante a agendamento), onde tomei um banho de imersão com água corrente, por 20 minutos, paguei R$ 30,00 (de Segunda a quarta-feira os valores dos serviços são um pouco menores). Mas em minha humilde opinião, valeu muito a pena, tanto que voltei no outro dia para mais um banho (hidromassagem/ pérola).

Já no sábado de manhã, saí bem tranquilamente caminhei pela feirinha de artesanato que tinha na praça ao lado das Thermas, passeei pelas lojas, e passei a manhã no Parque José Affonso Junqueira (atrás do Palace Hotel), próximo a fonte, vendo a vida passar. Desacelerando total…

Depois do almoço, voltei no Parque que acabei de falar, e fui ao Café Concerto, e para mim foi um dos melhores lugares que fui na cidade. Música ao vivo, com mesas do lado externo, passarinhos cantando, quiche de alho poró bem gostoso, ou seja, gostei muito!

No domingo pela manhã, a banda municipal estava tocando no coreto, uma gracinha. Como sempre, idosos animados e dançando (muito bem por sinal). A noite fui a PIB Poços de Caldas (Primeira Igreja Batista em Poços de Caldas), onde fui muito bem recebida.

Na segunda-feira fiz check out no Íbis e fui passar uma noite no Palace Hotel (tinha curiosidade de saber como era). Fui a pé mesmo, pois é super perto. Como o check in no Palace é somente às 16h (achei bem tarde), deixei minha mala lá e fui conhecer o mercado municipal. Lá comprei todas as lembrancinhas (no caso comidinhas) como muitos doces de leite. Eu não comprei, mas quem vai procurando um “quejin” também consegue de tudo quanto é jeito. O mercado não é grande, mas é variado de produtos e preços (não compre no primeiro box…pesquise os valores).

Quando finalmente pude entrar no hotel, subi, deixei minhas coisas no quarto e já desci para a famosa piscina coberta de águas sulfurosas quentinhas do hotel. Que delícia! Só tinha eu, até que…as pessoas começaram a ter a mesma ideia. Mas foi delicioso, a piscina é grande, fiquei quase 2 horas dentro da água. Amei!

Depois disso, a noite desci para conhecer as demais dependências do hotel, e confesso que fiquei apaixonada pelo Jardim Toscano muito bem cuidado e lindo. Mesmo a noite achei ele lindo! O hotel é todo grandioso e muito antigo (da década de 30) na cidade. Segue o link, para os interessados na história deste local, ou para procurar por diárias: http://www.palacehotelpocos.com.br

Recepção do Palace Hotel
Vista do quarto

Pela manhã, tomei café parecendo ryca e phyna das novelas globais, aquele restaurante com lustres lindos, que parecia um lugar o qual princesas tomam café (e eu nada princesa ali hahahahaha contrastando sempre). Gostei bastante, comi, e apesar do lugar ser lindo, não me senti nem um pouco deslocada em estar de jardineira (simplória) ali naquela grandiosidade.

Pela manhã, o Jardim Toscano é ainda mais lindo, fiquei um bom tempo ali tirando fotos naquele lugar em que eu certamente poderia ficar um dia inteiro, lendo livro, conversando ou fazendo nada hahahaha.

Conclusão? Valeu muito a pena minha viagem completamente sozinha, conversei com estranhos, fiz amizades na praça, um idoso me chamou para dançar, dei risada a valer vendo como a terceira idade literalmente dá de baile na minha geração. Escolhi tudo, como, quando e onde…se queria levantar e ir a algum lugar ou ficar hibernando. Se conheceria um restaurante a cada dia, ou acharia um bom e o frequentaria até o final da viagem (no almoço eu tinha um preferido). Tomei banhos relaxantes, até senti a solidão, mas ela logo não incomodava, ao contrário, ela me empoderava, me fez mais corajosa, me fez mais eu.

Chile (Abril-2019)

Finalmente minha primeira viagem internacional aconteceu e cá estou depois de 3 meses (sim, demorei) para contar dessa realização de um sonho. Eu amo quando realizo meus sonhos!

Fui com uma amiga minha que também era estreante em viagem internacional e ficamos 5 dias hospedadas em Santiago.

Chegamos no GRU (Aeroporto Internacional de Guarulhos) antes das 8 horas da manhã. Nosso vôo foi lá pela 11 horas. Fomos de Latam, “econopobre” (já diria @estevampelomundo ), bem apertadinho, mas que pra uma viagem de 4 horas, foi “ok”. Sentamos do lado esquerdo do avião, sendo assim, vimos as cordilheiras lindas ao chegarmos em Santiago. Pousamos, passamos pela imigração, entregamos um questionário que nos foi entregue no avião pelos concessionários de bordo e também meu passaporte (não é necessário ter passaporte para ir ao Chile, é aceito nosso RG, sem problemas, contanto que não seja muito antigo, ou inelegível – minha amiga foi com o RG e não teve problema algum).

Encontramos nosso transfer ( da empresa “Viptours”) que foi bem simpático e nos levou ao nosso hotel por 20 mil pesos (sendo que assim foi 10 mil pesos pra cada uma). Ficamos no Hotel Panamericano, na Calle Teatinos, super bem localizado, no centro, pertíssimo do Palácio La Moneda (onde fica a presidência chilena). Chegamos no hotel já era tardezinha, deixamos as malas e fomos procurar um supermercado para comprar água (já tinha lido que a água chilena é muito diferente da nossa). Finalmente achamos um chamado Santa Isabel.

Gente, a sensação de que estamos em outro país é muito clara quando estamos num supermercado que praticamente não conhecemos marca nenhuma hahahahaha. Enfim, como tinha lido sobre a água, sabia que a marca Benedicto era uma das mais parecidas com a nossa, então quando enxerguei uma de alguns litros agarrei como se fosse minha salvação, se tudo desse errado pelo menos hidratada eu estaria 😂. Peguei algumas frutas, pão, bolacha…no caixa, primeira vez tendo que lidar com dinheiro gringo, e conferir troco hahahahaha, misericórdia! A melhor parte foi descobrirmos que não oferecem sacolas plásticas (o que é louvável ) e que nós desavisadas não tinhamos bolsa suficiente pra colocar tudo 😅 foi na mão mesmo, no centro de Santiago, com aquele povo elegante (isso eu reparei assim que pisei em Santiago, como as pessoas se vestem bem, e como principalmente os homens se vestem bem, chocada! Homarada brasileira poderia aprender nesse quesito) passando por nós hahahahaha. Foi hilário andar com pacote de pão Puma pelas pessoas. Ou seja, vão nos supermercados em Santiago? Levem sua ecobag #ficaadica.

No hotel, fomos abrir nossa querida água Benedicto e…era com gás. Caraca, como tem água com gás no Chile! Acho que é mais comum o consumo da água com gás do que a sem. Então se você não curte como eu, preste atenção quando comprar. E sim, experimentei a marca de água que tinha no hotel, já que era sem gás e é muito ruim, é extremamente pesada, muito diferente mesmo!

Água da marca Vital foi a melhor que encontrei. Mais leve. Já essa do lado direito (cortesia do hotel) ´bem pesada, bem ruim MESMO!

Por motivos de força maior (minha amiga passou mal a noite) não fomos ao passeio que estava marcado, mas consegui reagendá-lo (fizemos todos os passeios com a agência “Destino Chile “, recomendo muito. Fechei com eles aqui no Brasil e eles foram muito bons, tratei o tempo todo com a Amanda pelo whatsapp e email).

Tomamos nosso primeiro café da manhã no hotel. Onde é servido o café é bem bonito, com grandes janelas de vidro para rua, possibilitando a visão do movimento nas ruas. Coisas que achei diferente no café da manhã foi o pão (tipo de forma) duro e nada gostoso. Também tem abacate todos os dias. De restante, achei bem parecido com o Brasil, bem “ok”.

Saímos ao centro finalmente para conhecer. Tiramos algumas fotos em frente ao Palacio La Moneda, e lembrei que em minhas pesquisas sobre a viagem tinha lido sobre a troca da guarda, que no mês de Abril seria nos dias pares (era dia 10). Sorte a nossa! Aguardamos na praça onde tinham muitos, mas muitos brasileiros tirando fotos e também aguardando para assistir. Nisso conhecemos uma moça de BH (povo que gosto muito!) viajante solo, atleta e gente boa; também conhecemos uma brasileira nos abordou para vender passeios (cheio de brasileiros de várias agências de turismo oferecendo passeios, já que pelo que ouvi, 90% dos turistas internacionais no Chile, são brasileiros) muito simpática, Luiza se não me engano, da agência Smart Tour (já tinha meus passeios fechados como eu disse anteriormente então não fui em nenhum com eles) ela nos deu dicas muito importantes, como um chip para usar enquanto estava em solo chileno, já que quando saímos no dia anterior compramos um da Entel e não deu certo pois assim como no Brasil é necessário o Cpf, para ativar o chip, lá é pedido um número de um documento chileno que por motivos óbvios eu não tinha, e aí que a dica dela veio a calhar nos falando do chip da “Wom” que não pede esse número de documentação para ativar. E mais ainda, ela nos deu (isso mesmo, deu) um chip fechado desse para nós. Foi coisa de Deus viu!!! Fiquei muito grata tanto pela dica quanto pelo chip, já que só estávamos usando o wifi do hotel.

A apresentação da guarda foi linda (eu nunca tinha assistido) ficamos de frente (na verdade nas costas da banda). Eles tocaram várias músicas, acredito que durou mais de 30 minutos. Depois seguimos pela Calle Agustinas, onde trocamos dinheiro e seguimos até o Cerro Santa Lucia, um mirante bacaninha no centro de Santiago. Estava um pouco cheio, mas no geral eu gostei. De lá fomos para o restaurante La Piccola que foi indicação dessa nossa colega de BH, já que não conhecíamos nenhum lugar ainda. Pedi uma massa, que confesso estava mais ou menos. É um restaurante muito frequentado por brasileiros até por ter um preço mais em conta, já que o preço da comida no Chile não é tão barato assim.

Continuar lendo “Chile (Abril-2019)”

São Sebastião e Ilhabela (SP)

Minhas férias desse ano, foram mês passado (Outubro/18), e como sou praieira de carteirinha, amo um sol, um mar e muita areia, fui conhecer as cidades de São Sebastião e Ilhabela.

Sempre ouvi falar muito bem de Ilhabela, já imaginava o quão lindo seria, mas, a minha surpresa foi a agradável São Sebastião.

Fomos numa terça-feira pela manhã. Pegamos o ônibus da cidade onde moro para São Paulo, no Terminal Rodoviário da Barra Funda embarcamos no metrô (sim, com uma mala de rodinhas e mochila; todos sobrevivem hahahaha, mas também tem a opção de Uber, táxi, se achar a baldeação muito incômoda) descemos na estação “Sé” pegamos a linha Azul, sentido “Tucuruvi” e descemos na estação “Portuguesa-Tietê”. No terminal do Tietê, compramos a passagem e finalmente embarcamos no ônibus para São Sebastião por um valor aproximadamente de R$ 70, e o percurso dura mais ou menos 4 horas.

A serra estava com um nevoeiro surreal, e ao chegarmos na cidade o tempo estava bem nublado. Ficamos em uma pousada no centro histórico de São Sebastião, que aliás gostei demais da Pousada Ypê, pertíssimo da rua principal dos restaurantes e do outro lado, o mar, inclusive perto de onde se pega a balsa para atravessar para Ilhabela (pedestres não pagam, já os veículos sim).

Na quarta-feira, pela manhã pegamos a balsa para Ilhabela e fomos no Centro de Informações Turísticas onde pegamos um mapinha das praias. Na rua de trás, tem o ponto de ônibus em que vão a todas as praias da ilha.

Pegamos o ônibus para o lado Sul (é possível pagar a passagem no ônibus para o motorista). Descemos na praia Pedras Miúdas em frente a famosa Ilha das Cabras. Devido as chuvas que estavam ocorrendo nos dias anteriores essa praia não estava própria para banho, fato sinalizado pela bandeira vermelha da CETESB. Sendo assim, não ficamos muito tempo nesta praia, logo pegamos o ônibus e fomos para praia do Curral, e me encontrei, hahahahaha. Que praia gostosa! Faixa de areia grande, própria pra banho (bandeira verde da CETESB), mar lindo, areia limpa, delicinha! Almoçamos em um dos quiosques da praia mesmo, foi ótimo.

Praia Pedras Miúdas


Praia do Curral


Praia do Curral


Na manhã seguinte, novamente fomos a Ilhabela, dessa vez fomos na chamada Vila (Centrinho histórico) cheio de restaurantes e lojinhas fofas. Caminhamos até o pier da cidade, para mim essas caminhadas pela cidade, são uma das coisas que mais curto nas viagens!

No centro histórico mesmo, em frente a igreja principal, pegamos o ônibus pra irmos na praia do Sino (sugestão da Carol, uma atendente super simpática de uma das lojinhas que passamos) ao norte da ilha.

A Praia do Sino ou praia Garapocaia tem uma boa faixa de areia, o mar calminho e transparente. Ficamos nela a tarde toda. Para almoçarmos, atravessamos a rua e já estavamos no restaurante Garapocaia (umas pessoas chamavam de “fazendinha”), comida boa e barata. Assim que gosto!

Praia do Sino


Praia do Sino


Praia do Sino


As noites em São Sebastião eram sempre na “rua da praia”, experimentamos alguns restaurantes, fomos no evento que acontecia na tenda do outro lado da rua. Uma delícia de cidade, inclusive à noite. Já falei que me apaixonei pelo clima da cidade!?

Na sexta-feira a chuvinha chegou de vez e durou o dia todo…sendo assim não fomos a nenhuma praia, mas voltamos no Centro histórico de Ilhabela, já que minha mãe queria comprar uns souvenirs. A balsa demorou bem mais, ja que o mar estava revolto.

No sábado, com o sol lindo, nos despedimos desses poucos e bons dias de férias!

Preciso voltar para conhecer mais tantas praias lindas que nosso litoral norte têm. Alguém que acompanha o blog e é morador desse lugar maravilhoso?

Fim de Semana em São Paulo

Cheguei 2018!!!
(meio atrasada, né querida!)

Amo agitação de metrópole, várias pessoas, tantas histórias e nenhuma outra cidade nacional melhor representa isso que a minha cidade natal, São Paulo, que amo tanto, que me faz aumentar meu olhar sobre o mundo.
Como moro no interior, sempre que tenho oportunidade, vou a Sampa matar minha saudade, “turistar” na terra que nasci. Como todo bate-volta, foi aquela correria, de metrô, trem e ônibus, mas como foi de final de semana, tudo estava mais tranquilo.
Fui em 3 lugares que eu estava com muuuuuitaa vontade de conhecer. O primeiro deles é SESC São Paulo (ou 24 de Maio), que foi inaugurado no ano passado. Um prédio lindo, espelhado com 11 andares. Subimos a maioria pelas rampas (ahh a acessibilidade é algo lindo de se vê). Vimos a Comedoria de longe (a fila estava gigante, pois era próximo ao horário de almoço), vi também a sala de Oficinas (com cadeiras com designer inovador), um dos andares acontecia uma exposição sobre a Jamaica; mas, o que mais gostei e o que mais me surpreendeu foi a cafeteria no penúltimo andar, com espelhos d’água nas extremidades do prédio, com vista para o centro de São Paulo. É maravilhoso!

Depois da visita, fomos almoçar em um pequeno café (que serve almoço) na Rua São Bento, bem perto do Farol do Santander, que foi nossa próxima parada às 14hs.
Comprei o ingresso de visitação completa (R$ 20) e não para o Mirante, e foi a melhor coisa que eu fiz, sério, os andares tem exposições lindas, uns andares são sobre a história do banco, com ambientes fiéis à época inicial do funcionamento; dois andares estão tendo a exposição de José Saramago (escritor português); um andar tem uma pista de skate; mas uma exposição que amei, que conquistou meu coração aquariano foi a que tinham duas salas escuras com fitilhos e galhos artificiais presos no teto refletindo luzes nos cantos das salas, que geravam um movimento conforme o som de fundo emitido. Foi mágico! Deitei em alguns puffs disponibilizados ao que querem sentar/deitar e admirar o momento.

Já no mirante, tem um café, e dos lados um pequeno corredor, com vidros para a segurança…mas confesso que esperava mais, o corredor é muito estreito e lota de gente. Mesmo assim, sou àquela que é viciada em vistas urbanas.

A noite, fomos a uma pizzaria que eu já conhecia num shopping da Av. Paulista, e lógico que teve uma boa voltinha na avenida queridinha da capital!
No domingo, fui realizar algo que queria a um tempo, assistir a OSESP na Sala SP, e que lindo foi! Sou apaixonada por orquestras, sempre que posso vou assistir, e como aos domingos a apresentação é gratuita na Sala SP, não perdi tempo, já reservei pelo site os ingressos e foi maravilhoso! Vale muito a pena! Só aconselho um cuidado para quem vai de trem, como eu e minhas amigas, do lado de fora da Estação Júlio Prestes é um pouco complicado,devido a uma parte da Cracolândia, o que é muito triste, e sendo sincera assustador também.

Nosso rolê por São Paulo terminou com almoço no shopping de Osasco, que eu não conhecia. Ou seja, praticamente nosso bate-volta foi inédito já que a maioria dos locais eram novidades. Gostei demais (como sempre)!

Cabo Frio e Arraial do Cabo – RJ 

Olá pessoal!

             Voltamos a “programação ” com mais um post de belos lugares. Hoje contarei sobre minha viagem super rápida (2 dias completos) a Cabo Frio e Arraial do Cabo, no estado do Rio de Janeiro.
             Primeira vez que fiz viagem com agência que não foi passeio. Costumo fazer viagem por conta, e constatei que é o jeito que mais gosto realmente. 
Chegamos ao hotel na hora do almoço, que fica a poucos metros da praia da Dunas em Cabo Frio. Logo nós trocamos e fomos pra praia, já que o tempo era curto, queria aproveitar o máximo. Fomos a pé pra praia, e que lindo o lugar! Areias brancas,(infelizmente com sujeiras na areia já que os seres humanos ainda não aprenderam a cuidar do que é seu), dunas, mar azul, e gelado. Quem não gosta de águas frias, talvez você não goste do lugar, mas eu como não tenho problemas com isso, me esbaldei! 

     Praia das Dunas – Cabo Frio

        A praia tem vendedores, pessoal que “cede gratuitamente ” guarda sol e cadeira se a consumação for R$ 25, de bebidas (nesse não tinha comida). 
        Já para almoçar fomos nos quiosques no calçadão. Eles disputam os clientes, dá pra conseguir um preço bom! Eu dividi porções (frango, churrasquinho, arroz) e suco com as duas amigas, dando R$ 27 para cada, sendo que deu tranquilamente para as 3 se fartarem com folga. 
           Depois de passarmos a tarde na praia, fomos procurar a famosa “Rua dos Biquínis ” que o atendente do quiosque falou que era perto…sqn!!!!! Andamos bastante e sempre pedindo informações nas lojas, até que vimos uma ponte ao longe que teríamos que atravessar…acabamos que desistimos, já que estava ficando tarde, e queria olhar o centrinho de Cabo Frio. Entramos nas lojinhas, foi bem gostoso, já que é tudo plano! 
      A noite fomos próximo ao hotel buscar pizza próximo ao hotel mesmo. Achei super tranquilo andarmos por lá!
         No dia seguinte, fomos logo de manhã à Arraial do Cabo, deu uns 20 minutos. Descemos na praia do Anjos, próxima à praça do Cova. Que entorno tem lojas e restaurantes. Subimos a trilha de pedra para chegarmos à praia do Forno, e se tem um lugar que eu me apaixonei foi essa praia. Não tem como explicar, veja as fotos abaixo talvez consiga falar por si só. 

      Praia do Forno – Arraial do Cabo

        Ficamos até a hora do almoço nessa praia, depois partimos pela trilha para voltar a praça onde almoçamos no restaurante. Depois já tínhamos fechado um passeio de escuna (Minha primeira vez), pegamos no porto e fomos na praia do Farol, pelo que li umas das mais bonitas do país. Monitorada pela Marinha nacional só é possível ficar por pouco tempo (40min). Pequena faixa de areia, águas bem geladas e cristalinas. Lindo demais! 
     Tivemos alguns imprevistos e não consegui visitar a praia do Pontal então ficamos um pouco mais na praia dos anjos vendo o pessoal jogando futebol.

        Voltamos a Cabo Frio e a noite fomos a uma hamburgueria bem estilosa, bem gostosinha e depois fomos para pracinha da cidade onde ocorria um evento de surfistas, com música ao vivo.

      Já no outro dia, o último, fomos novamente a praia próximo ao hotel, praia das Dunas. Caminhamos pela manhã e foi bem gostoso! 

        Após o almoço, fomos embora e queria demais ficar um tempo maior nas duas cidades. Tem muitas praias e locais pra ir, eu recomendaria mais tempo.

5 Canais do Youtube de Lifestyle e viagens 

  • Fê neute: Fêliz com a vida

 O canal da Fê Neute não tem muitos vídeos, na realidade, os poucos que tem são sobre temas bem interessantes como Minimalismo (no modo geral da vida) por exemplo. Ela é uma “youtuber” por hobby mas não é o trabalho dela como a maioria dos aqui citados. Ela mora em NYC, em Manhattan com seu esposo americano. Gosto muito de acompanhá-la também no Instagram @feneute (Stories principalmente) pois ela mostra coisas do dia dia dela na cidade de forma leve e um pouco minimalista apesar de está no centro financeiro e consumista do mundo. Ela tem o blog http://www.felizcomavida.com, que foi o meio pelo qual a conheci (por sinal, li todos os posts porque é viciante).

  • Capitão Zeferino: 

 Canal do Youtube feito pelo casal de fotógrafos Fran e Paulo. Eles são aqueles casais animados e bem-humorados sempre! São além de casados, amigos, e isso é tão bonito nos vídeos…Enfim, no canal eles mostram as viagens, os trabalhos fotográficos, eventos de moda, e a rotina na cidade onde moram, Niterói. O Instagram deles é @capitaozeferino.

  • Vanessa Lino:

 Youtuber nascida no sul do Brasil, atualmente morando em Amsterdã com o marido, João. Acompanho a Vanessa desde antes de sua saída do Brasil. Seu canal acabou mudando um pouco do início, em que os vídeos eram mais direcionados a maquiagem; hoje com ela morando na Holanda, tem muito conteúdo sobre a Europa, já que ela viaja bastante por lá. Seu Instagram tem muitas fotos da vida no país europeu @vanessalino_

  • Lu Ferreira: Chata de Galocha

   A Lu é uma blogueira que eu gosto muitoooo! Não sei se é porquê ela é mineira e pensa num povo que é agradável e simpático?! Pois é, a Lu mora em BH (saudades Beagá!) com o seu marido Leo Horta e a pequena e fofa Bia, filha do casal.

   No canal Chata de Galocha, você encontra videos de viagens, maquiagem, dicas, de receitas…é um canal bem diversificado. O Instagram @chatadegalocha é cheio de fotos lindas do Léo, que é um baita fotógrafo.

  • Um Viajante:

   Conheci o Robson pelo blog dele http://www.umviajante.com.br. Ele é curitibano, dono do Café do Viajante na sua cidade.

   Fez alguns mochilões e seu instagram @blogumviajante tem fotos incríveis, além de Stories mega divertidos. Ele tem um canal no youtube com vídeos das viagens que parecem clipes, trailers de filmes de tão lindos. 

Bom galera, essas são minhas dicas de canais do Youtube/ Instagram de hoje, espero que gostem pelo menos de algum hahaha. Se gostaram, me deixa nos comentários para que eu saiba, ok?!
Aquele abraço!

   3 Dicas de lugares que curti em Sampa!

Olá visitantes do meu blog!

   Hoje vim com 3 (2 gratuitos) dicas de locais que conheci, gostei e recomendo em Sampa. Fiquei por lá 3 dias em Julho/17 com mais duas amigas, já que não perco nenhuma oportunidade de voltar pra minha cidade. Lógico que fiz um roteirinho antes de lugares que eu ainda não conhecia para não perder tempo.

1) Beco do Batman – Vila Madalena

   Como o nome já diz, é um beco, não muito grande mas com grafites lindos, um mais bacana que o outro. As pessoas descem de excursão (vi um grupo de uns 30 japoneses fascinados pela arte), pessoas fazem ensaio de fotos, outras só estão de passagem. É um lugar que tem muitos jovens, o bairro já tem essa “vibe cool” né!


Passeio gratuito pra quem gosta de arte. Tem uns cafés próximos pra quem quiser experimentar também.

2) Eataly – Itaim Bibi

   Mercado Gourmet de produtos alimentícios italianos. O lugar em si é belíssimo, mas cheio e como tudo que é gourmet, preços elevados (pelo menos para o meu bolso). No local tem pizzaria e restaurantes além do mercado. Tem algumas degustações de alimentos. Gostei do lugar por ser diferente de tudo que eu já tinha ido em questão de mercado (mesmo de mercados gourmet, que na verdade não foram muitos na vida…).

3) Sesc Pompéia

   Próximo ao Bourbon Shopping, esse Sesc era um dos lugares que minha amiga fotógrafa disse que não poderia faltar. Além de sua arquitetura belíssima, é cheio de atividades simultâneas.

Vocês também tem dicas de bons lugares para conhecer em SP? Algum lugar escondido, pouco popular? Se sim, me deixem nos comentários, quero saber.

 

 

Um Bate e Volta em Campos do Jordão

Não conhecia Campos do Jordão, apesar dela está no roteiro, planos de quase todos que eu conheço, não estava no topo da minha lista (não sou muito clichê rs…). Mas que fique claro que não era falta de vontade, era só que eu tinha interesse em outras cidades antes dela.

Surgiu esse bate volta, com agência, e com amigos. Eu que não sou de dispensar uma trip por nada, parti enfrentar algumas (muitas horas). Chegando lá pela manhã, passamos na Ducha de Prata, tomamos um café, e depois fomos ao Pico de Itapeva (onde podemos vê as cidades do Vale), e que lindo, que maravilhoso! Sim, me apaixonei por aquela vista. O vento é forte, frio, e quase me arrastou, mas vale tanto a pena, que confesso que foi o lugar que mais gostei do dia inteiro!

WhatsApp Image 2017-07-17 at 20.14.34

DSCN0090.JPG

DSCN0089.JPG

Depois do Pico, fizemos uma parada no lago do Pico Itapeva. Um lugar, que segundo a guia não tem peixes devido as altas temperaturas. Um lugar bem legal para um piquenique!

WhatsApp Image 2017-07-17 at 20.14.23.jpg

Após essa rapidinha, conhecemos o bairro luxuoso em Campos, com casas, mansões de famosos. O lugar é belíssimo!

Paramos em uma chocolateria, onde teve degustação de alguns tipos de chocolates, queijos, etc…

Antes do almoço, fomos no Mosteiro de São João, um lugar bem bonito para fotos.

DSCN0104.JPG

DSCN0108.JPG

DSCN0112.JPG

Almoçamos no restaurante Querença da Serra, e passamos a tarde no coração da cidade, no bairro Capivari. Centro comercial, feito para os turistas. Estava muito, muito, muito cheio.

DSCN0115.JPG

A arquitetura é linda, europeia…os preços são salgados (vale a pena pesquisar pois encontramos uma diferença de preço bem relevante), mas é uma cidade muito bonita. Acredito que um dia é pouco demais para conhecer Campos do Jordão. Ainda quero ir com mais tempo.